25 de jan de 2011

Hong Kong, surpreendente!

A passagem por Hong Kong foi rápida, intensa e surpreendentemente saborosa.
Já no primeiro bar que encostamos para tomar nossa cervejinha de brinde de chegada num novo país (ritual que praticamos sempre, sem exceções), conhecemos um chinês que já nos deu dicas de onde e o quê comer. Eu disse que gostava de experimentar os lugares locais, nada de turistas, boteco de chinês, entende? Ele me entendeu perfeitamente e eu anotei tudo rapidinho para não esquecer o nome dos lugares que ele falava com tanta euforia que eu já estava com água na boca... 
Pedi a conta, vamos logo experimentar todas estas maravilhas!
Estava frio, então para começar uma sopinha cairia bem, sopa na Ásia, significa Congee, arroz cozido por horas e mais horas com água até virar um creme. Come-se com frango e porco desfiado, legumes, cebolinha,...
É muito reconfortante, cremoso, amei. 
E acreditem, a nossa Canja (que utilizamos os mesmos ingredientes) vem daí mesmo, do tal do Congee! 



Depois para a segunda jornada do jantar só precisávamos atravessar a rua para experimentar " O melhor barbecue de porco que você vai comer na sua vida". Literalmente um boteco, sem frescuras nenhuma, muito simples. Na entrada havia uma foto do Bill Clinton, eu perguntei para a senhora do caixa o porquê desta foto e ela falou com a maior sutileza, - É o lugar favorito do Sr. Clinton quando ele está aqui em Hong Kong! 
Ahhh ok, então eu quero experimentar o prato preferido dele...o tal do barbecue de porco...  

A minha reação após a 1ª mordida: afemariameusenhor dai-me esta receita!!! 
Eu só queria queimar meu passaporte e ficar ali para sempre!
Claro que não consegui obter nenhuma receita, nem em troco do meu passaporte... são gerações fazendo o porquinho mais doce, macio e suculento de sempre e a receita não vai sair dali por nada...
No dia seguinte voltamos lá, mas resolvi experimentar o barbecue de pato, big mistake! As vezes me arrependo por não ser metódica e não mudar de time quando está se ganhando...
Não sei se algum dia voltarei à Hong Kong, mas se alguém for, já está encomendada uma marmita de porquinho do Guangdong Barbecue Restaurant, por favor!




Guangdong Barbecue Restaurant
No.43 Huankoudao,Tsim Sha Tsui, Hong Kong, China

Dorayaki, bolinho de feijão japonês

Os famosos bolinhos de feijão da Liberdade eu nunca tive coragem de experimentar, sempre tive medo da mistura de feijão com açúcar. 
No Japão tive que encarar, afinal os bolinhos são tão lindos, com formatos diferentes de pombinhas, luminárias japonesas e até em formato de templo!
Comi 1, 2, 3,.. apaixonei!




    

9 de jan de 2011

Okonomiyaki, お好み焼き

Esse nosso amigo japonês que conhcemos no Laos, o Keisuke, nos levou para conhecer a fofa da mãe dele, e ela nos levou num restaurante onde gosta de comer Okonomiyaki, a panqueca japonesa. 
Okonomi, significa "o que você quer", e yaki "frito". E é isso mesmo, uma mistura de ovos, farinha, pode ser de legumes, lulas, carne de porco, camarão,… e servida    numa chapa quente. 
Uma delícia de almoço!  Arigatô Keisuke!

Sopa de milho na latinha


Estes japas são mesmo fantásticos e não tem mais o que inventar!
Pelas ruas há sempre máquinas e mais máquinas para vender coca-cola, cerveja, sakê, café, chocolate-quente, sorvete, sushi, yakisoba,… Quase tudo o que vc quiser, estará à venda nas máquinas de rua. Seja quente ou frio.
Aquele dia fazia frio, e eu precisava de alguma coisa quentinha para me aquecer. Fui numa máquina desses ver se tinha algo diferente para provar. 

Se tratando de Japão, vai ter sempre algo diferente e inusitado.
Eu vi uma latinha bem linda mas não entendi em japonês do que era. 
Coloquei minha moeda e saiu uma lata beeem quentinha, quando abri, que delícia! Sopa de millho, cremosa, deliciosa e com pedaços de milho dentro. 
Estes japas são fogo!

 

Senbei, o biscoito japonês

                                                                 








Para mim, Senbei é sinônimo de nostalgia.
Lembro que quando eu era criança, meu pai sempre chegava em casa com um pacotinho de Senbei com gergelim. 
Eu e meus irmãos adorávamos. 
Era fácil devorar um pacotinho atrás do outro. 
Agora estou aqui no Japão, e não na Liberdade, onde ele costumava comprar estas bolachinhas. Eu tinha até me esquecido desta delícia, mas um amigo japonês que conhecemos no Laos e nos recebeu por aqui, fez questão de nos levar para passear. 
Chegamos em Arima, nos arredores da cidade de Kobe. Uma vila muito charmosa e pequenina. E adivinhem qual é a especialidade daqui? Senbei, claro. Foi criado aqui e as pequenas fábricas utilizam a água gasosa das fontes naturais que tem na região. 
Posso dizer que me deu saudades da infância, mas não me deu saudades do Senbei da Liberdade. O daqui é tão crocante e fininho, parece uma folha de papel. Delicioso!!!!




Tsukiji Market, Tokyo


O despertador tocou às 04:30 da manhã. Eu não queria acordar, a cama do hostel era fofinha, quentinha e lá fora fazia quase 0ºC. Mas eu estava animada, muito contente de finalmente ter conseguido chegar ao Japão, estar em Tokyo e ir visitar o Tsukiji, o maior mercado de peixe do mundo!  Pegamos o metrô, e chegamos bem cedinho, ainda a tempo de ver o movimento diário e caótico deste  mercado que movimenta mais de 2.000 toneladas de peixe por dia!  
E acreditem, o mercado não cheira nada a peixe.
Os vendedores não gostam de turistas, nós atrapalhamos a vida deles, embasbacados com o tamanho, quantidade e as espécies de peixes e crustácios que nunca tínhamos visto na vida. 
Tudo que vem do mar, se mexe e tem vida, pode-se encontrar por lá. 
Eu quase fui atropelada pelos carrinhos frenéticos que ficam de um lado para o outro transportando os peixes. Levei bronca de meia dúzia de vendedores por não acreditar no que estava vendo, e querer tocar em todos os peixes e coisas diferentes. regra nº1 Não toque em NADA. Eu toquei em tudo! 



Salmão fresquíssimo e suas ovas, as mais lindas, grandes e frescas que já vi na vida.



























Um sonho de geladeira, recheada com o melhor atum do mundo
As cabeças do atum...

 Às 08:00 da manhã bateu uma fominha, e a 2ª regra de uma visita à este mercado, é tomar o café-da-manhã por lá mesmo. 
Sim, nada melhor do que um sushi para começar o dia, com o peixe mais fresco e saboroso do mundo. Há alguns restaurantes dentro e ao redor do mercado, ficam abertos apenas das 05:00 às 14:00hs. O mais renomado é o Sushi Dai, fomos conferir. 

O lugar é pequenininho, sentam apenas 10 pessoas por vez. Foram 2:30 hs de espera na fila com frio e chuva, aquele sushi tinha que valer muito a pena e superar nossas expectativas….e foi melhor, muito melhor, foi surpreendente. Uma grande fatia  do peixe sobre uma pequena quantidade de arroz. Isso é Niguiri Sushi de verdade!  





                                                     Eles servem um menu-degustação, são 10 pedaços que o sushi-man prepara no minuto e coloca na sua frente, um de cada vez, respeitando uma sequência de sabores. Toro, ouriço-do-mar, moluscos, baby camarão e outras delícias...







 

  

  
Só posso dizer uma coisa, o Japão é fantástico, o peixe é delicioso e o mercado é um sonho para qualquer apaixonado por comida.


----------
Sushi Dai
Tsukiji Market
Tokyo
Japan



5 de jan de 2011

O petisco do Rio Mekong, Laos.



O melhor que o rio Mekong poderia oferecer, as algas são o petisco perfeito para aproveitar o pôr-do-sol e, melhor ainda, se acompanhado da deliciosa BeerLao, A cerveja do Laos.
Mekong Weeds, como é chamada, é a alga seca com pedaços de alho, tomate e gergelim, depois ela é frita e servida bem crocante. 

Está no meu top 5 das delícias da viagem. 
Mandei um pacotinho pelo correio para o Brasil, vamos ver se chega.


A alga sendo preparada para virar mekong weeds.
O rio Mekong na cidade de Luang Prapang, Laos
A alga frita e pronta para ser deliciada!
Lindo Pôr-do-sol em Luang Prapang
Foi um pacote desse que eu mandei para o Brasil.